Federação Interestadual dos Policiais Civis das Regiões Centro-Oeste e Norte.

Feipol-CON e entidades filiadas juntam-se com policiais de todo o Brasil em protesto pela Previdência dos operadores da segurança pública

Durante a manhã e a tarde da última quarta-feira (10/04), a Feipol-CON, juntamente com representantes de suas entidades filiadas e outras de vários estados do país realizaram intenso trabalho junto ao Congresso Nacional buscando apoio de parlamentares em favor de uma previdência aos policiais que faça justiça ao trabalho que realizam diuturnamente.

Foram dezenas de visitas onde os representantes sindicais e membros das bases abordaram parlamentares federais, entregando a “Carta aos Parlamentares”, um documento que apresenta dados concretos que evidenciam a natureza diferenciada da atividade policial.

O ponto mais marcante da mobilização ocorreu no início da tarde, onde os manifestantes reuniram-se no rol da entrada de acesso as comissões da Câmara dos Deputados e gritaram palavras de ordem, como: “Policial tem direito, quer se aposentar”; “Polícia Unida, Jamais Será Vencida” e o mais emblemático e categórico dos protesto e que chamou a atenção de todos que estavam no local e de organismos da imprensa, “Bolsonaro, traidor”. “Essa é justamente a sensação de todos os profissionais da segurança pública quanto ao Presidente Bolsonaro. Em sua ampla maioria, não somente apoiaram o então candidato, como eram linha de frente do exército das redes sociais e das ruas que propagavam a esperança do discurso do Presidente de valorização dos profissionais da segurança pública e até agora, a única ação do Chefe Maior da República foi encaminhar projeto de emenda constitucional que regride seus direitos”, lamentou, Marcilene Lucena, Presidente da Feipol-CON.

Durante o manifesto, a Deputada Federal pelo PSL de São Paulo, JOICE HASSELMANN, compareceu junto aos manifestantes com a seguinte indagação: “Porque, Bolsonaro traidor? Qual foi a traição do Presidente?” Oportunidade em que os manifestantes externaram seus motivos de insatisfação com o Governo. A Deputada perguntou aos manifestantes quais as pautas e se colocou à disposição para intermediar uma conversa entre os policiais e a equipe econômica do governo. “Foi importante o ato e a atenção da deputada que é uma das líderes do PSL, partido do Presidente. Foi possível, mesmo que em um breve momento, apresentar para a Deputada nossas reivindicações. O presidente Gutierrez expos a forma desleal com a qual, membros da Casa Civil tem tratado nossas pautas quanto a Reforma da Previdência e creio que ficou o recado de que não aceitaremos retrocessos”, disse, Giancarlo Miranda, Vice-presidente da Feipol-CON.

O ato foi organizado pela União dos Policiais do Brasil – UPB e contou com a participação de policiais de várias forças e de vários estados e a presença dos representantes da Feipol-CON foi marcante, em especial da Presidente do Sinpol-MT, Edileusa Mesquita e outros representantes do estado do Mato Grosso, além da sempre marcante participação dos guerreiros do Mato Grosso do Sul.

“Não tenho dúvida que a luta será árdua, mas não temos outra alternativa. Buscamos o diálogo com o governo, mas no primeiro momento fomos enganados e agora a resposta que temos da Casa Civil é que a proposta do Presidente é a que foi mandada para o Congresso e o não haverá modificações por parte do poder Executivo. Não aceitaremos esse tratamento”, advertiu, Marcilene.

Compartilhar.