Federação Interestadual dos Policiais Civis das Regiões Centro-Oeste e Norte.

Feipol-CON participa de manifestação contra demissão de sindicalista em evento realizado pela Federação Nordeste

O Vice-Presidente da Feipol-CON, Giancarlo Miranda, participou na manhã desta quinta-feira (07/02), em Recife, Pernambuco, de manifestação contra a demissão de Áureo Cisneiro e Rafael Cavalcanti, Presidente e Vice-Presidente do Sinpol-PE, respectivamente.

O evento ocorreu como programação do Congresso da Federação Nordeste de Policiais Civis e teve Giancarlo Miranda e Ubiratan Rebelo, Vice-Presidente e Diretor de Comunicação, respectivamente, representando a Feipol-CON, bem como seus estados, Mato Grosso do Sul e Tocantins.

          Buscando esclarecer a questão da manifestação é importante destacar que Áureo e Rafael respondem a uma série de Processos Administrativos Disciplinares promovidos pelo Governo de Pernambuco em retaliação à atuação destes em favor dos policiais civis do estado. Além da atuação sindical marcante, os referidos sindicalistas são referências na luta pela manutenção de direitos sociais e em prol dos servidores públicos. A atuação combativa e corajosa despertou a ira do Governador e outros membros do Executivo que perseguem implacavelmente os dirigentes classistas, mesmo estes estando tão somente exercendo seu direito constitucional de atuação sindical. “Não podemos permitir esse retrocesso nos direitos sociais consagrados na Constituição Cidadã de 1988, principalmente se tratando de trabalhadores que exercitam seu direito sagrado de manifestar. Fato como esse cria precedente perigoso para o estado democrático e fragilizam os mecanismos de “proteção social” contra desmandos do poder”, destacou, Giancarlo.

          A manifestação teve participação de várias entidades sindicais, desde a representação de policiais civis de todos os estados do nordeste, como de outras unidades da federação e dezenas de policiais civis solidários à questão. Amplamente coberto pela impressa, o protesto contou com o apoio popular no seu decurso e deve ser apenas um dos instrumentos a ser promovido pelas entidades para evitar a covardia que pretende o governo de Pernambuco. “A manifestação deve ser apenas um dos recursos a ser utilizado. É inadmissível essa atitude vinda de qualquer governo, ameaçando pais de família de forma tão vil e covarde. O Brasil se unirá contra essa atrocidade e denunciaremos em todo o país a atitude do governador Paulo Câmara que, ironicamente, é membro de um partido dito socialista”, arrematou, Miranda.

Compartilhar.