Federação Interestadual dos Policiais Civis das Regiões Centro-Oeste e Norte.

Federações de Policiais Civis participam de reunião na SENASP

Por Gabriela Chermon

A convite da Secretaria Nacional de Segurança Pública – SENASP/MJ – a FEIPOL Centro-oeste e Norte, juntamente com representantes das federações das regiões Sul, Sudeste e Nordeste participaram de reunião, na tarde desta quarta-feira (8/4), no Ministério da Justiça, para discutir assuntos de interesse nacional para os Policiais Civis.

Na reunião, a secretária nacional de segurança pública, Regina Miki apresentou o esboço de uma proposta para um “Pacto nacional pela redução de homicídio no Brasil”, o objetivo é reduzir o número de homicídios no país. Trabalhando em eixos temáticos, nas áreas de: ação social, serviço penal, sistema de justiça e segurança pública. Lembrando que a redução do homicídio não é uma questão apenas de uma ação policial isolada e sim o conjunto de vários esforços, contando com o envolvimento da sociedade civil organizada e com o poder público constituído.

Após a apresentação do pacto, a secretária externou que “espera a contribuição das federações, com críticas ao projeto e sugestões para que o mesmo seja aperfeiçoado, que seja um pacto que traduza a realidade vivida pelos policiais e atenda os anseios da sociedade brasileira, e sobretudo que seja factível a sua implementação. Pois, a expertise policial é necessária para compreensão na elaboração de um pacto que visa fundamentalmente proteger a vida do cidadão, nada melhor que aproveitar a experiência daqueles que tem em seu mister todos os dias o risco de morte como companheiro”, concluiu a Regina.

A FEIPOL/CON acredita que o sucesso desse pacto passa por uma construção de uma proposta bem elaborada, que leve em consideração vários fatores, como:  Gestão profissional; Nivelamento de conhecimento profissional; Formação profissional continuada; Entender a investigação como uma ciência e especializar em investigação o policial civil; Definição das atribuições de cada cargo; Autonomia dos cargos no exercício de suas atribuições; Que leve em consideração a necessidade de aumentar os efetivos policiais; suas remunerações, além de equipá-las adequadamente, bem como, enfim, perceber o operador de segurança como o verdadeiro representante do Estado (o policial é o Estado personificado) e não como o ser que atualmente é visto como abandonado a sua própria sorte nas ruas.

Para o diretor da FEIPOL/CON e vice-presidente do SINPOL/MS Roberto Simião “a reunião foi muito importante, pois mais uma vez o Ministério da Justiça, por intermédio da SENASP convidou a Feipol e os servidores da segurança pública para opinarem sobre uma proposta de pacto a ser construído”, enfatizou o diretor.

“Temos pela frente muito trabalho a ser construído, um pacto que seja eficaz e que possibilite efetivamente a diminuição do homicídio no Brasil, mas nós policiais civis, entidades de classe acreditamos que é possível mudar essa triste realidade, desde que haja o envolvimento de todos. Não temos fórmula mágica e não acreditamos em salvadores da pátria, acreditamos em trabalho e por isso emprestaremos à SENASP e a todo bom projeto, que vise melhorar a segurança pública e torne mais eficiente as policias brasileiras, o nosso apoio e a nossa defesa, bem como as nossas críticas”, explicou o presidente da FEIPOL/Sudeste Aparecido Lima.

Deverá ocorrer no mês de maio, uma nova reunião, ocasião em que será debatido um modelo mais eficaz de investigação policial.

A FEIPOL/CON disponibiliza o email da entidade ([email protected]), para quem tiver sugestões sobre o tema. Participe!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar.